Páginas

sexta-feira, 10 de abril de 2015

You are perfect to me - Capitulo 35

- Tudo bem, eu sei - me abraçou - Só estava brincando - riu - Vamos - assenti.

Mamãe e papai não quiseram ir, disse que comemoraríamos a noite, numa festa pequena, para os mais próximos, concordei. Fomos ao shopping, tomamos café no Starbucks e fomos andar um pouco, comprei alguns livros e Malú me deu alguns de presente, depois fomos ao fliperama, um dos lugares mais legais ali, diversão na certa!

~Mais ou menos uma hora depois~

- Ah, cala boca vocês dois, isso foi roubo - retruquei a provocação de Caio.

- Roubo? Sinto muito se as duas não sabem jogar - ele disse e riu, entramos no carro, os dois na frente e eu e Malú atrás. 

- Foi injusto, faz muito tempo que não jogo, então o mínimo que poderiam fazer é me deixar ganhar, ainda mais hoje, que é meu aniversário! 

- Calma, você não é tão importante assim - Tyler falou fazendo Caio e Malú terem uma crise de riso.

- Argh! Malú não ria - dei uma tapa no braço dela.

- Eu te avisei para não competir com esses dois, eles roubam mesmo.

- Chega desse assunto, quero ir para casa - falei emburrada.

- Antes de irmos para casa tenho que comprar umas coisas que mamãe pediu.

Logo ele estacionou em frente a um mercado, estava com preguiça de ir, então fiquei no carro com Malú, mas estava quente lá dentro e resolvi sair. Só que me arrependi um tempo depois, não sei porque, algumas meninas vieram falar comigo, me perguntando se eu estava bem, se eu mantinha contato com o Justin, não conseguia responder elas, na verdade não entendia o porque delas estarem fazendo tanta pergunta.

- HEY! - Malú gritou, levei até um susto - Qual é a de vocês? Nem conhecem ela, estão fazendo todas essas perguntas porque?

- Ela é uma belieber e conhece o Justin, qual é, todo mundo sabe quem ela é agora - uma das 4 meninas falou, foi aí que minha ficha caiu.

- Olha, estou bem, e não preciso de tanta atenção assim, conheci ele sim, bom, na verdade ele me conheceu, mas foi por um motivo horrível, fiquei em coma e não gosto de estar sempre lembrando disso. 

- Mas você mantém contato com ele? - me perguntaram esperançosas.

- Não, ela não tem nenhum contato com ele, e mesmo se tivesse vocês não se aproveitariam disso, eu hein - Malú e seu jeito educado de ser. As meninas a olharam com raiva.

- Malú! - a repreendi - Não tenho contato nenhum com ele, espero um dia poder conhece-lo, poder falar, abraçar ele, mas por enquanto é só um sonho, como o de qualquer uma.

Caio e Tyler voltaram, encararam as meninas estranho, elas se despediram de mim, de uma forma bem amigável e foram embora, não sem antes darem uma olhada muito estranha para Malú. 

- Quando você vai aprender a ser mais educada?

- Quando as pessoas pararem de ser interesseiras, ou seja, nunca - ela me deu um sorriso falso e entrou no carro, os meninos me olharam confusa, contei pra eles.

- Ah sim, agora entendo a revolta da Malú - Ty falou.

- Se fosse pela Mari, as meninas ainda estariam enchendo o saco dela, nunca vi, dá atenção pra todo mundo.

- Não! - retruquei - Mas é que elas só queriam saber.

- Elas queriam se aproveitar de você, isso sim.

- Malú tem ciúmes até de desconhecidos - Caio brincou fazendo todos rirem, menos é claro a Malú, que fechou a cara.

Chegamos em casa, levei meus livros para meu quarto, guardei-os com muito cuidado, amo meu bebês. Malú se jogou na minha cama, ela ainda estava emburrada. Esperei ela se distrair com a música alta que saia de seus fones e me joguei em cima dela.

- MARINA!! - ela gritou assustada, eu ria da  cara dela - Ficou louca? Acha que eu aguento você, sua obesa - pronto, ela está de volta.

- Você aguenta seu peso todo dia, então o meu é uma pena perto do seu! - me levantei, ia saindo do quarto, mas fui surpreendida com um peso em cima das minhas costas, fazendo com que eu caísse no chão.

- Da próxima vez tome mais cuidado ao dar as costas para seu inimigo - ela riu e saiu correndo.


"Vaca" pensei, me levantei e fui atrás de comida, cheguei na cozinha e quase ajoelhei agradecendo por tanta comida que tinha ali. Malú, Caio e Tyler já estavam lá, mamãe estava "brigando" com eles.


- Chegou mais uma - ela me olhou, fiz uma careta - Nem pense que vai comer alguma coisa.

- Mas estou com fome, e essas coisas parecem estar deliciosas - olhei para a mesa repleta de comida.

- Mas não é para vocês comerem agora, alias, o almoço já deve estar pronto - ela disse e apontou para a cozinha que ficava na area. Bufei e acompanhei os meninos até lá.


Chicago, July 07, 2014  7:40 P.M


- Marina anda logo, faz quase uma hora que você está nesse banheiro - Malú gritou do lado de fora do banheiro.

- Já falei que tem vários banheiros pela casa, escolha um e use - gritei de volta. Escutei ela bufando, ri sozinha e desliguei o chuveiro, passei um creme no meu corpo, coloquei minha roupa íntima, enrolei uma toalha na cabeça e sai de roupão.

- Você é uma vaca, já estava indo para outro quarto - ri - Você faz isso de propósito que eu sei.

- Malú, você não queria usar o banheiro? - perguntei, ela fez uma careta para mim e entrou no banheiro, vesti a roupa que já tinha separado. Fui arrumar meu cabelo, e depois fazer minha make up. Malú logo saiu e se arrumou, ela é bem rápida.

- Estamos gatas? Estamos gatas! - Malú se colocou ao meu lado no espelho e falou, assenti.


Bateram na porta e autorizei a entrada.


- Mamãe está quase dando cria por causa da sua enrola, já tem gente aí, e estão perguntando por você - Caio falou, dei mais uma olhada no espelho e fui em direção a porta - Alias, vocês estão lindas!

- Nós sabemos babe - ri, ele fez cara de tédio - Você também está um gato - abracei sua cintura e fomos para a sala...






Continua....






MDS! Quanto tempo :'( saudades daqui.
Esse capitulo ficou muitoooo chatinho, mas prometo que vai melhorar logo logo :D
Então né, vou tentar postar com frequência, tentar usar tempo livre para escrever, mas isso eu já não prometo.

segunda-feira, 25 de agosto de 2014

You are perfect to me - Capitulo 34

Mas ainda era difícil de acreditar, Justin sabe que existo e quer me conhecer!

Peguei o iPhone de Caio e fui no Instagram de Justin, passei o resto da tarde vendo suas fotos, como ele tinha mudado, está mais "malhado", as tatuagens se multiplicaram, enfim, mais lindo do que já era. Não pude continuar a ver as fotos pois o medico e meus pais vieram falar comigo, e parece ser serio.

- Como se sente? - o medico perguntou.

- Bem, agora já consigo me mexer mais, e já não sinto dificuldade em falar - sorri - Quando vou ter alta?

- Isso vai depender de você e seu esforço - o olhei confusa - Você vai precisar fazer fisioterapia, porque de alguma forma o acidente e todo esse tempo em coma prejudicaram seus comandos, e é como se você estivesse se esquecido de como andar, tenho certeza que você não consegue mexer as pernas, somente com muito esforço e mesmo assim muito lentamente - assenti - Então vai depender disso, você está ótima, nem parece que estava em um coma, mas vai ter que fazer fisioterapia para voltar a ter o comando sobre suas pernas, e isso pode acontecer rapidamente, com bastante dedicação sua. E você pode começar amanhã mesmo, se quiser.

- Eu quero - falei rápido, o medico sorriu - E a minha memória? Estou com algum problema? Pois não consigo me lembrar praticamente de nada.

- Não, você não está com nenhum problema, isso é normal de acontecer, você acabou de acordar de um coma, pode demorar algumas semanas para que seu cérebro comece a trabalhar normalmente, e a fisioterapia também vai te ajudar nisso.
  
- Obrigada.

Fiquei até mais tarde conversando com minha mãe, meu pai e Caio tinham ido para casa. Dormi enquanto mamãe fazia carinho em minha cabeça, ela estava deitada comigo... Acordei com a luz no meu rosto, abri meus olhos e tinha uma enfermeira ali, ela notou que havia acordado.

- Bom dia - ela disse sorridente.

- Bom dia - respondi do mesmo jeito que ela, sorridente - Você sabe onde está minha mãe?

- Ela disse que iria em casa mas voltaria logo, e o doutor pediu para que lhe acordasse, sua fisioterapia começa às 10 a.m.

- E que horas é agora?

- 8:06 a.m., se você quiser pode tomar um banho, seu café já está pronto - ela apontou para uma mesinha.

- Gostaria sim de tomar um banho, você que vai me ajudar? - não gostava da ideia de banhar com uma mulher desconhecida, mas eu entendia. Ela assentiu, e dei graças a Deus quando ela me disse que hoje seria só ela, menos mal.

 Com um pouco de dificuldade ela me ajudou a sentar na cadeira e depois me levou para o banheiro, depois ajudou a me vestir. Voltei para o quarto, pedi para ficar na cadeira, não aguentava mais ficar deitada. Tomei meu café e depois conversei um pouco com a enfermeira, ela que cuidou de mim desde que cheguei aqui. Ela me falou do Justin, do dia que ele esteve aqui, junto com Scooter, Alfredo, Khalil e Za, instantaneamente fiquei emocionada, e algumas lágrimas escaparam, mas logo tratei de limpar. Mas o sorriso eu não podia controlar, a felicidade era enorme. Conversamos mais um pouco e mamãe chegou, se juntando a conversa, mas logo fui para sala de fisioterapia. Uma mulher vestida de branco me esperava, ela se apresentou e disse que cuidaria de mim, da fisioterapia. Fiquei mais ou menos duas horas fazendo vários tipos de exercícios, alongamento... 




06/07/2014 - 08:03 a.m. - Chicago 


"Feliz aniversário pra mim" foi a primeira coisa que pensei assim que acordei. A porta do meu quarto se abriu, e lá estavam eles, meus pais, Caio, Tyler e Malú cantando para mim. Minha mãe vinha a frente segurando um cupcake com a vela "18" em cima. Sorri.

- Viva Mari - todos gritaram.

- Obrigada, não precisava disso - me sentei olhando todos - E além do mais eu acabei de acordar, isso não é nada legal - ri.

- Ah para, você é linda - Ty disse, Caio nos encarou e riu - E não é todo dia que se faz 18 anos.

- Tyler tem razão - Malú falou e sorriu - Mas chega de melação. Mari trate de levantar logo e se arrumar, temos muita coisa para fazer - assenti, até porque Malú não me deixaria em paz até eu fazer tudo que ela quer no meu aniversário, pois é. Me levantei, e todos vieram me abraçar, desejar todas aquelas coisas, enfim, me parabenizar. Depois fui ao banheiro.

- Pode deixar meu cupcake aí, depois vou come-lo - falei sem olhar para trás, Caio bufou e resmungou algo que não entendi, fechei a porta. 

Me despi e entrei no box, deixei que a agua quente levasse toda minha preguiça, ou parte dela. Demorei umas meia hora no banho, mas eu lavei meu cabelo, então, não enrolei tanto assim. Me enrolei na toalha e já aproveitei para secar meu cabelo, depois de ter feito isso, o prendi num coque e fui me vestir. 
Não sabia exatamente onde iríamos, então optei por uma roupa casual, que combina com qualquer ambiente, fiz uma maquiagem mais leve, pro dia a dia. Estava quase saindo do quarto e Caio entra, sorri.

- Está pronta? - assenti - Então vamos - ele ia saindo mas o chamei - O que foi? 

- Pode para de ficar dando aquelas olhadas viu - ele ia falar, mas continuei - Você sabe do que estou falando, Ty sempre foi assim comigo, o que sonhei não influencia nada nisso, ele sempre será meu amigo, nada mais.

- Tudo bem, eu sei - me abraçou - Só estava brincando - riu - Vamos - assenti.




Continua...





Sei que tá um pouco pequeno, mas é o que tem pra hoje lol Vou tentar, repetindo, tentar deixar maior o proximo.
Então é isso, beijos!

terça-feira, 15 de julho de 2014

You are perfect to me - Capitulo 33

Mamãe olhou para todos e começou:

- No dia 23 de junho do ano passado, o Justin iria fazer um show aqui, e como estava perto do seu aniversário resolvemos te dar isso como presente, você ir no show, com direito a M&G. Eu iria te levar, mas ouve um imprevisto no trabalho, e então pedi para que Caio a acompanhasse - sorri pra ele, mas o mesmo abaixou a cabeça - Ele não recusou, você estava tão feliz e isso que importava. Vocês saíram um pouco mais cedo de casa para chegar lá na hora e você queria ser a primeira do Meet, e então - ela parou de falar e olhou para o Caio, e então ele continuou:

- Nós dois estávamos animados, você estava muito ansiosa e feliz, não parava de sorrir - ele deu um sorriso como se lembrasse da cena, e eu tive como flashes daquele dia - E sua animação me deixou feliz, riamos e fazíamos brincadeiras dentro do carro, mas eu dirigia com cuidado, sempre prestando atenção. Como tínhamos saído mais cedo o transito estava tranquilo, estávamos perto de um sinaleiro que estava fechado, e eu já estava reduzindo a velocidade para parar, mas o mesmo abriu, então continuei na velocidade, olhei para você - notei seus olhos brilhando e logo algumas lágrimas escorriam pelo seu rosto - Você sorria, o sorriso mais verdadeiro que já vi, e isso foi a última coisa que vi antes de notar um carro vindo em nossa direção pelo seu lado e depois apaguei - ele chorava, como eu e meus pais - Me perdoa, a culpa foi minha, eu estraguei o dia mais feliz da sua vida e ainda fiz com que você ficasse em coma por um ano, por favor me perdoa - ele chorava muito, e eu também, mas eu não conseguia acreditar que ele se sentia culpado. Apertei sua mão e a acariciei com o meu dedão, chamando sua atenção e fazendo ele me olhar.

- Eu não tenho nada para perdoar, você não teve culpa de nada, não sei como você pensou isso, a culpa foi da outra pessoa.

- Mas se eu tivesse visto o carro...

- Mas nada - o interrompi - Você não teve culpa de nada, pelo contrario, estava me ajudando a realizar meu sonho, só tenho que agradecer - sorri em meio ao meu choro. Ainda estava meio extasiada com a história, fiquei muito triste com o que aconteceu, por Caio se sentir culpado, e por tudo que tinha "vivido" com Justin era só um sonho, maravilhoso, mas sonho. E talvez esse sonho tenha me mantido viva por esse ano que estive em coma. Ficamos um tempo assim, ate que consegui me recuperar um pouco.

- Eu amo vocês - falei, olhei para Caio - Eu amo você, e quero que nunca mais pense nisso como sua culpa - ele assentiu.

- Também amamos você querida - mamãe respondeu por todos - Você quer alguma coisa?

- Bom, estou com fome e queria tomar um banho, me sinto, ham, um pouco suja - mamãe riu, ela e meu pai foram falar com o médico, saber o que posso comer e se posso tomar um banho. Caio continuava sentado.

- O que aconteceu durante esse ano? Muitas namoradas? E a faculdade, muito puxada? E a Malú, passou em alguma faculdade? 

- Esse ano todo foi muito entediante, não tinha minha parceira de diversão, namorada? O que é isso? É de comer? 

- Depende do ponto de vista - o interrompi, pisquei, ele fez cara de surpreso e depois caiu na gargalhada, o acompanhei.

- Você é uma garota inocente, não deveria falar isso - riu, fiz um "joia" pra ele - Mas falando serio, nem sei o que é isso, estou na seca, faculdade, estagio, você, não tinha tempo para isso. Malú está bem, entrou numa ótima faculdade, na verdade ela queria te esperar, mas não deixamos, não que nós não achássemos que você fosse acordar, mas não sabíamos quando, entendeu? - ri.

- Entendi, e fizeram muito bem - sorri, conversamos por mais um tempo, até que mamãe voltou com comida e roupas, graças a Deus poderia tomar banho, mas minha alegria foi embora com a condição do médico, só poderia banhar com a ajuda de mamãe e duas enfermeiras! O que eu não faço por um banho? Além da ajuda delas, tive que ficar numa cadeira, pois estava fraca e não conseguia ficar em pé, mesmo se me apoiasse em alguém... A comida pelo menos era boa, nada como uma pizza, mas a macarronada estava doas deuses lol

Mamãe disse que o médico queria conversar com ela e papai, e então novamente só estava eu e Caio no quarto.

- Deita aqui comigo - pedi manhosa, e agradeci pela cama ser maior que o normal, suportando duas pessoas. Ele se deitou passando seu braço ao meu redor.

Resolvi contar do sonho para ele.

- Sabe, durante esse ano, ou talvez no ultimo mês, não sei, eu sonhei com o Justin, estava tão bom e pena que acordei antes de ouvir o que ele iria me falar - encarei seu rosto.

- Quero saber mais, me conte como foi, com mais detalhes - assenti.

Contei desde o começo para ele, as vezes ria, mas falava para continuar, contei tudo sem me esquecer de nada, com detalhes, como o mesmo pediu, a não ser na parte que tive minha primeira vez, ele não precisava saber o que pensei, imaginei nessa hora com o amigo dele, oh sim, Tyler existe, é melhor amigo do meu irmão e minha paixão platônica, pois é. E as meninas, bom elas foram criadas pela minha imaginação, minha melhor amiga é a Malú, que nem aparece no meu sonho, ou delírio, tanto faz.  

- Acho que seu "crush" deveria saber disso - ele riu.

- Cala a boca - ri - É bom você não falar nada.

- Tudo bem. Mas falando em Justin, aconteceu tantas coisas com ele, a sorte sua é que prometi para mim mesmo que me informaria sempre dele e anotaria tudo para te mostrar, ou seja, virei belieber por um ano e fiz meio que um diário dele.

- Serio? - ele assentiu - Sabia que eu te amo né - sorri.


- Interesseira - me fuzilou com os olhos, apenas ri.

- Não mesmo, mas cadê esse tal diario? Eu tenho que me atualizar sobre ele.

- Só amanhã, eu tenho tudo no notebook e não estou com ele aqui, mas amanhã trago.

- Não acredito que vou ter que esperar até amanhã - disse emburrada, fazendo graça é claro.

- Mas se quiser posso contar uma coisa pra você, em relação a ele - fiz sinal para que ele continuasse - No outro dia, depois do acidente, ele desmarcou um show, pois ficou sabendo do nosso acidente, e veio aqui no hospital, bom eu não vi, pois fiquei uns 5 dias desacordado, mas mamãe me contou. Ela disse que ele ficou quase o dia inteiro aqui, e quando falo aqui, me refiro ao seu quarto, ele foi me ver também, mas foi coisa rápida, mas com você não, ele pediu no Twitter, Instagram, todas as redes sociais que você imagina para mandarem pensamentos positivos para você, que rezassem por você. E adivinha? Ele também te seguiu no Twitter, e disse que quando você acordasse, ele queria te conhecer, conversar com você - eu estava chorando, sim chorando, porra meu ídolo tinha vindo me visitar, pediu para que rezassem por mim, me seguiu e disse que quer me conhecer, isso com certeza é motivo para mim chorar pelo menos por uns meses lol Eu tentava controlar meu choro, mas tava impossivel, eu realmente fiquei muito emocionada, Caio me abraçou na tentativa de me acalmar, e conseguiu, pelo menos um pouco.

Mas ainda era difícil de acreditar, Justin sabe que existo e quer me conhecer!







Continua...








Oi paixões, nem demorei muito dessa vez não é?! 
Acho que o capitulo está num tamanho bom, não?
Tentei deixar emocionante a parte que o Caio falou sobre o acidente, mas não sei se consegui, então me diga vocês, que lê, ou você.
Só Mari está comentando, e eu realmente gostaria de ter mais opiniões, mas ok.
Bom é isso, beijos!

segunda-feira, 7 de julho de 2014

You are perfect to me - Capitulo 32

- Pode – riu, ele me beijou de novo, mas fomos interrompidos com a porta abrindo. Alfredo entrou e ficou encarando nós dois, confesso que fiquei com vergonha.

- Então – Alfredo começou a falar e riu - Sua mãe estava te procurando.

Pattie entrou e percebeu que estava um clima meio estranho - O que foi?

- É que o Alfredo entrou e viu eu e a Mari juntos - Justin falou.

- Beijando é a palavra certa - Alfredo riu

- Já pensou se fosse o Twist? O Alfredo eu sei que guarda segredo, mas o Twist não tenho ceterza.

- Segredo? - Alfredo perguntou

- Sim, é que não queremos que ninguém saiba, por enquanto - falei

- Entendi, pode deixar, não vou falar nada, mas quem sabe sobre isso?

- Minha mãe, Pattie e agora você - sorri

- Okay - piscou

- Ah Justin vai se arrumar logo, você tem que ir pro M&G - Pattie falou e saiu, Fredo se sentou ao meu lado e Justin foi... Faltava apenas alguns minutos para o show, todos tinham vindo para cá.

28/02/2013.

Acordei animada, amanhã é o aniversario do Justin, tenho que comprar o presente, e vou fazer isso agora. Fiz minha higiene matinal, coloquei um roupa e sai, deixei as meninas dormindo. Encontrei com os meninos logo no corredor.

- Bom dia - falei alegre, cumprimentei cada um deles, na hora do Justin o abracei e sussurrei para ele

- Bom dia amor - sorri, me virei para Caio - Irmão lindo me leva no shopping?

- Pra que?

- Preciso comprar umas coisas, me leva - sorri fofa.

- Okay, vamos logo - Caio pegou o carro que tinha alugado, não sabia o que iria comprar, mas sei que compraria algo lol Fomos em varias lojas e eu ainda não tinha visto nada que combinava com Justin.

- Pensa um pouco, enquanto isso vamos naquela loja, quero comprar umas coisas também - era uma loja de sapatos masculinos, Caio foi para uma parte e eu ao lado contrario dele, vi um tenis e achei a cara do Justin, chamei o vendedor, era um tenis unico, com certeza ele gostaria. Terminei minhas compras e fomos comer algo, depois voltamos para o hotel, não tinha mais nada para fazer, fiquei no quarto mexendo nas minhas redes sociais...

01/03/2013.

Acordei mais cedo que todos propositalmente, fiz minha higiene matinal bem rapido, coloquei uma roupa simples e fui até o quarto do Justin, bati algumas vezes até ele abrir, ele me chamou para entrar. Depositei um beijo rapido em seus labios.

- Feliz aniversario - disse animada e sorri, o abracei, falei algumas coisas pra ele.

- Obrigado - ele me beijou - Te amo.

- Te amo também - sorri. Nos sentamos em sua cama e ficamos conversando. Depois que todos acordaram fomos no shopping, alias passamos quase o dia inteiro lá, uma pré comemoração do aniversario do Justin... Voltamos pro hotel já estava anoitecendo, fomos nos arrumar para festa, já estava pronta esperando as meninas. Justin e os meninos já tinham ido, Caio ficou para nos acompanhar, não demorou muito e chegamos no local, era uma boate, fomos para a parte reservada, onde já estava lotado, e boa parte das pessoas ali eram famosas. A musica era comandada pelo Tay James, todos estavam super animados, fomos até o bar pegar bebidas. A festa estava perfeita, estavamos nos divertindo bastante, Justin se dividia para dar e receber atenção de todos. Scooter, Pattie e Jeremy fizeram um discurso lindo para ele, e logo depois veio o bolo, que era só para a representação, não era um bolo de verdade, Justin também fez um pequeno discurso, a festa se estendeu ate mais tarde, depois fomos para o hotel. Depois de toda a animação da festa veio o cansaço, tomei um banho e coloquei um pijama, e como não ainda não tinha entregado o presente do Justin, resolvi fazer isso agora. Bati uma vez e ele já abriu, acho que não fui em uma hora muito boa, ele estava só de toalha.

- Ham me desculpe, só vim entregar seu presente - estendi o mesmo para ele.

- Oh não, eu já estava indo me vestir, entra - pensei um pouco, mas resolvi entrar - Já volto - ele foi para o closet e logo voltou já vestido.

- Espero que goste - entreguei o presente, ele abriu.

- Um supra da coleção unica? Eu amei - ele riu, calçou um pé, olhou e depois guardou novamente na caixa - Obrigado, eu realmente adorei.

- Bom você mereçe - sorri - É boa noite, era só isso mesmo.

- Não, fica aqui. Você já vai voltar amanhã, e bom, esse é o unico momento que podemos apreveitar um pouco.

- Tudo bem - sorri, me deitei por debaixo das cobertas, ele foi até o criado mudo, pegou uma caixinha e deitou ao meu lado. Ao ver aquela caixinha meu coração acelerou, nesse ultimo mês eu simplesmente me apaixonei pelo Justin, por cada pedacinho dele, cada caracteristica nele, tudo me encanta agora, e faz um tempo que já não me importo se as pessoas descobrisse, o importante era estar com ele, e também, acho que depois que me apaixonei por ele, espero que ele fizesse um pedido, sabe oficial, tudo bonito.

- Mari, planeta terra te chamando - Justin me tirou dos meus pensamentos.

- Oi - sorri

- Poxa estou falando com você já faz um tempo e você nem estava prestando atenção - ele fez uma carinha triste.

- Desculpa amor - beijei sua bochecha - Pode falar agora, prometo prestar atenção.


[...]


Escutava ruídos ao meu redor e via uma luz branca, será que morri? Mas se eu realmente tivesse morrido, porque sentia meu corpo tão pesado? Acho que quando você morre tudo fica mais leve e não assim, como estou sentindo. O que antes eram só ruídos, agora podia identificar como vozes, e acho que eram conhecidas.

- Parece que ela está agitada.

- Será que está acordando? Vou chamar o médico.

Consegui identificar  essas frases, mas não fazia muito sentido, mas as vozes, com certeza eram familiares. Tentei me mover, mas senti, não uma dor e sim um desconforto, sabe quando você dormiu demais ou está totalmente conectada ao sonho e acorda de repente, e seu corpo parece que foi massacrado? Me sentia exatamente assim, parecia que cada parte do meu corpo pesava uma tonelada e por isso não conseguia mandar comandos. Senti alguém tocar na minha mão, e por mais que tentasse não conseguia abrir os olhos, e pode parecer loucura, mas eu conhecia aquele toque, o jeito carinhoso e ao mesmo tempo seguro, com certeza era minha mãe.

                                                 I'm wide awake
                                           And now it's clear to me
                                          That everything you see
                                        Ain't always what it seems
                                                I'm wide awake
                                   Yeah, I was dreaming for so long


- Minha princesa, por favor acorde, estou perdendo minhas forças, por favor reaja, diga alguma coisa, se movimente, eu preciso de um sinal, seja qual for. 

Escutava tudo atenciosamente, e eu queria gritar, dizer que a amo, mas não conseguia. Fiz um esforço maior e consegui apertar sua mão, percebi que seu choro se intensificou. Mesmo de olhos fechados notei uma agitação ao meu redor, e depois, senti meu corpo ficando mole, até não conseguir escutar mais nada...

Quando acordei novamente, me sentia uma pouco melhor, já conseguia mover um pouco mais meu corpo sem sentir tanto desconforto, tentei abrir meus olhos e pensei que não conseguiria como as outras vezes, mas para minha feliz surpresa  consegui, no primeiro momento senti incomodo por tanta claridade e os fechei rapidamente, depois de alguns minutos os abri novamente, dessa vez obtendo sucesso, corri meus olhos por todo o local, paredes brancas, decoração branca com algumas coisas em tom de azul claro, logo percebi que era um quarto de hospital, mas o que eu estava fazendo ali? Não conseguia me lembrar de nada. Ainda estava observando o quarto quando um pequeno barulho me chamou atenção, a porta havia sido aberta, revelando a figura dos meus pais e meu irmão, assim que notaram que estava acordada sorri para eles, que vieram para perto da minha cama e começaram a fazer varias perguntas, do tipo:

"- Você está bem? "
"- Sente alguma dor?"
"- Consegue nos escutar?" 

E por ai vai, mas ainda estava meio perdida para prestar atenção em todas. Mamãe chorava, e eu percebi ela pedindo para Caio chamar um médico.

- Vai ficar tudo bem - mamãe falou segurando minha mão e eu apenas assenti apertando sua mão. Caio entrou sendo seguido por um homem, que provavelmente é o médico.

- Você se sente bem? - o médico perguntou, assenti, ele pediu para que meus pais e meu irmão saíssem, pois ele tinha que falar comigo e fazer alguns exames, eles concordaram e saíram. Restou no quarto eu, o médico e uma enfermeira.

- Vou te fazer algumas perguntas e gostaria que você respondesse com total sinceridade e sem esquecer qualquer detalhe que lembre, tudo bem? - o médico perguntou muito simpático e calmo, e novamente apenas assenti.   

Ele riu.

- E gostaria que você respondesse falando, não só com gestos.

Dei uma risada fraca.

- Tudo bem - falei, e saiu mais como um sussurro. Ele me fez varias perguntas, sobre o que me lembrava, como estava me sentindo e depois me examinou um pouco.

- É, para quem acabou de acordar depois de um ano você está muito bem - ele tinha falado mesmo um ano? Como assim? - Vou verificar certinho esses resultados - ele balançou alguns papeis que estava em suas mãos - E depois venho te ver novamente - sorriu.

- Tudo bem, mas um ano que estou aqui? O que aconteceu?

- Vou chamar sua família, creio que eles irão te explicar melhor - assenti. Um ano, meu Deus, talvez seja por esse motivo que o Justin não esteja aqui, ou pelo menos todas as vezes que acordava e escutava vozes, não escutava a dele. Logo meus pais entraram junto com Caio.

- Como você se sente princesa? - meu pai perguntou.

- Bem, com um pouco de dificuldade para me mexer e falar, e um pouco confusa também, mas bem - sorri.

- E não está sentindo nenhuma dor? Se estiver sentindo fale, não esconda nada - mamãe falou, e a preocupação era visível em sua voz, a olhei, ela estava ao meu lado e segurou minha mão.

- Não, não sinto nada, pode ficar tranquila - ela sorriu, observei Caio um pouco afastado - Hey, vem aqui, não quer falar comigo? 

- Claro que quero - ele veio até a cama e se sentou na beirada, segurando minha outra mão, papai estava ao seu lado em pé. Sorri olhando para eles, minha família, meu porto seguro.

- Bom, queria saber o que aconteceu para eu vir parar aqui, e só acordar depois de 1 ano. O médico disse que vou me lembrar daqui alguns dias, semanas, mas eu preciso saber logo - falei. Mamãe olhou para todos e começou...







Continua.....





Heey amores da minha vida! Como estão? Espero que bem.
Demorei, mas postei. Muitas coisas nesse capitulo não é?! lol

Bom quero dedicar essa capitulo a Mari, ontem foi aniversário dela, e eu iria postar ontem mesmo, mas não deu, então esse é um presente atrasado hehe 
Espero que goste Mariposa hahahaha



terça-feira, 1 de julho de 2014

Recadinho

Oi pessoas!

Sei que estou demorando pra postar, mas aguardem só mais um pouquinho lol
Bom, estou passando pra avisar que mudei umas pequenas coisas na postagem "personagens", não é muita coisa, somente a foto de dois personagens e o nome de um. É só isso, e novamente peço que aguardem um pouco mais, acho que os próximos capítulos vão recompensar a demora hehe
Grandes coisas estão para acontecer, pode ser que alguns vão achar ruim, mas tenho certeza que causará surpresa em todos.

"What would you do if it was just a dream? "

Por essa frase vocês irão deduzir tudo, ou quase tudo...! 

Bom é só isso, vejo vocês em breve.


Beijos.

sábado, 17 de maio de 2014

You are perfect to me - Capitulo 31


- Tá sabendo que isso ficou estranho, né?! – gritei para que ele escutasse, ele voltou segurando uma caixinha.
- Não leve as coisas em outro sentido – ele parou em minha frente – Espero que goste, eu achei que combina com você, eu queria te dar um anel, mas minha mãe disse que era cedo demais, e eu resolvi comprar outra coisa – ele deu um sorriso fofo. Me entregou a caixa, abri com certa rapidez pois estava curiosa.
- Aww Jus, que lindo – sorri e o abracei – Coloca em mim – me virei de costas pra ele, que colocou o colar, voltei a olha-lo – Também tenho uma coisa pra você, sua mãe que me ajudou a escolher também, vou buscar – fui até o quarto, peguei o presente e voltei para cozinha – Espero que goste – ele abriu e ficou calado olhando o relógio, vi um sorriso brotar em seus lábios e isso foi a confirmação de que ele tinha gostado, ele colocou o relógio.
- Eu também gostei muito – ele olhou o relógio em seu pulso.
- Hey cadê meus morangos? Você não me deixou comer aquela agora eu quero – fiz biquinho
- Vai indo pra sala, que daqui a pouco vou lá – fui para sala, coloquei a garrafa de vinho, que ainda está quase cheia, e as taças na mesinha que tinha ali, me sentei no chão mesmo, liguei a TV e coloquei no canal onde vai passar o Jus no SNL. Justin sentou ao meu lado e me entregou uma tacinha com a sobremesa.
- Foi você que fez? – perguntei após ter experimentado.
- Não, foi o cozinheiro ali – ele apontou para cozinha e eu boba ainda olhei, ele começou a rir.
- Idiota – bati em seu braço.
- É claro que fui eu – ele riu – Foi bem fácil, comprei os morangos, cortei e o creme já veio pronto.
- Assim até eu faço – ri – Olha só, já vai começar – apontei pra TV que anunciava SNL... Estava sentada no meio das pernas do Justin e ele me abraçando, eu ri demais, realmente está engraçado, mas acho que o vinho me deixou “animada” lol Quando terminou já estava com um pouco de sono, mas começou um programa legal, fiquei assistindo, mas acabei pegando no sono. Acordei com Justin me chamando.
- Oi? – cocei o olho com preguiça
- Vai pra cama dorminhoca.
- Não, aqui está tão bom – me aconcheguei mais em seus braços.
- Prefere ficar aqui, no chão duro, do que na cama, macia e quentinha?
- Pensando bem, vou pra cama – ri, me levantei e segui para o quarto, fui ao banheiro, me preparei para ir dormir, voltei pro quarto e me joguei na cama, vi Justin passar para o banheiro, e um tempo depois voltar para o quarto, ele apagou as luzes e se deitou, me aninhei em seus braços e logo dormir.
Acordei no outro dia com uma musica tocando, estava sem coragem de abrir o olho, senti Justin e mexer na cama e logo o barulho parando, continuei do mesmo jeito ouvindo a conversa. O silencio reinou no quarto, abri os olhos e me assustei com Justin parado me olhando.
- Ai credo, estava me velando? – ri
- Não, estava te admirando – sorriu – Agora, a senhorita vai ter que levantar, pois temos que ir, minha mãe já me ligou nos apressando.
- Serio? Queria dormir mais – me espreguicei.
- Dorminhoca – ele se sentou ao meu lado. Ele ficou me olhando, coloquei o travesseiro na minha cara.
- Para de me olhar assim – falei.
- Assim como? – ele riu.
- Desse jeito ai, que você está me olhando – ele riu ainda mais, tirou o travesseiro da minha cara, distribuiu beijos pelo meu rosto, comecei a rir – Chato.
- Eu? – assenti – Não sou chato, sou muito legal. E levanta logo – ele se levantou e saiu do quarto, criei coragem e levantei, troquei de roupa. Fui ao banheiro lavei meu rosto, peguei minha bolsa e fui à sala.
- Estou com fome, tem alguma coisa ai para eu comer? – escorei no balcão.
- Não, no caminho compro algo, vamos? – assenti... Já estávamos no hotel, peguei minha bolsa e fui em direção ao meu quarto, estava no corredor, perto do mesmo quando um ser me para.
- Oi – sorriu
- Oi Twist
- Acabou de chegar? Não é muita coincidência?
- Hã? – perguntei confusa, continuei a andar e ele me acompanhou.
- É, desde ontem que não vejo você e o Justin, e agora, os dois chegam ao mesmo tempo, está rolando algo entre vocês não é? – fiquei surpresa por ele achar uma coisa tão certa, mas disfarcei, comecei a rir.
- Garoto você já amanhece bêbado? Eu e o Justin não temos nada.
- Eu vi o jeito que ele te olhou, só não entendo pra que esconder que estão juntos – ok, esse cara já está me assustando, só ele percebeu isso, que doido.
- Não vou discutir com você, pode ficar com sua imaginação fértil que eu vou pro meu quarto – entrei no mesmo sem dar tempo dele responder. Eu sei que o que ele disse é verdade, mas como eu e Justin tínhamos combinado não falar pra ninguém, não tinha o porquê eu confirmar. Fiquei deitada na cama e acabei dormindo, acordei do nada, olhei no relógio e marcava 1h da tarde, nossa dormi demais. Tomei um banho, coloquei uma roupa (a de short), peguei meu celular, tinha algumas mensagens do Justin, li todas e respondi. Fui ao restaurante, comi, voltei para o quarto, estava sentindo falta das meninas, liguei para elas, fui ao encontro delas, na piscina do hotel.
- Porque não colocou um biquíni? – Gaby foi a primeira a me notar e já veio falar comigo.
- Ah porque não – dei de ombros, sentei na espreguiçadeira, Gaby empurrou minhas pernas e se sentou.
- Para onde você e Pattie viajaram? – Gaby me olhou curiosa.
- Eu e Pattie? – perguntei confusa.
- É, ela já nos contou que vocês viajaram ontem – ela me encarou – Não viajaram?
- Ah sim, não sei o nome do lugar, mas é legal – porque Pattie disse que viajamos? Vou descobrir isso daqui a pouco – E como foi o seu dia ontem?
- Foi perfeito – ela começou a falar tudo, que o Ryan era isso, aquilo, o que ele tinha preparado para ela... Ela voltou pra piscina e eu fiquei brisando, resolvi ir falar com Pattie, mas onde ela poderia estar? Eu não ia ficar caçando ela por todo o hotel, sem nem sequer saber se ela estava aqui, então liguei pra ela, ela disse que estava no quarto e que eu poderia ir até lá. Bati duas vezes e escutei um ‘entra’.
- Oi Pattie – sorri
- Oi querida, sente – ela apontou para cama, onde ela também está sentada. Me sentei.
- Eu só queria tirar uma duvida, Gaby me perguntou para onde tínhamos viajado e eu achei meio estranho – ela fez uma cara tipo ‘me lembrei’.
- Desculpe, era para eu ter te avisado, é que o Twist estava pegando no pé do Justin, desconfiando que vocês tivessem viajado juntos, então eu disse que você tinha viajado comigo. Você não negou né?
- Não, não. Eu só fiquei confusa – sorri.
- E como foi o dia de vocês? Gostou do presente?
- Foi muito bom, me diverti bastante, e eu amei o presente, não vou tira-lo nunca mais – passei a mão no meu pescoço onde o colar se encontrava – Vocês escolheram bem – sorri.
- Justin estava apreensivo, com medo de que você não gostasse – Pattie riu.
- Bobo – sorri – Falando nele, onde ele está?
- Ah ele foi para o local do show ensaiar, alias eu tenho que ir para lá.
- Posso ir junto?
- Claro – Pattie pegou sua bolsa e fomos para o lugar. Chegamos no local, já tinha uma fila enorme do lado de fora, tinha uns caras conferindo tudo, Justin, sua banda e seus dançarinos no palco, Twist, Scooter e algumas outras pessoas num canto assistindo e conversando. Assim que me viu Justin sorriu, retribui o sorriso, eu e Pattie nos juntamos com o pessoal. Eu acompanhava todas as musicas, Justin conversou um pouco com os dançarinos, a banda, ensaio mais um pouco e depois parou, ele veio até nós.
- Estou cansado e com fome, quantas horas? – ele se sentou no chão.
- São 5h da tarde, tem comida lá no camarim – Scooter falou.
- Comida? Eu também quero, estou com fome – me intrometi na conversa. Justin riu.
- Então vem – Justin se levantou e eu o acompanhei, isso não foi uma desculpa para vir com ele, eu realmente estou com fome. Entramos na sala, tinha uma mesa com varias delicias. Eu e Justin começamos a comer, já tinha comido o bastante, me sentei no sofá que tinha ali, Justin deitou e escorou a cabeça no meu colo.
- Que folga é essa? – acariciei seu cabelo.
- Estou cansado, preciso relaxar e descansar pro show – sorriu, ele ficou me olhando e de repente me puxou e colou nossos lábios, foi um selinho rápido, pois eu me afastei.
- Ficou louco? O Twist já está desconfiado e você faz isso.
- Mas ele não está aqui – levantou uma sobrancelha.
- Mas pode entrar a qualquer hora.
- Relaxa, ele deve estar dando em cima de uma das minhas dançarinas – isso é verdade, sorri – O que você ficou fazendo depois que chegamos que nem te vi?
- Dormi até 1h da tarde, e depois vim para cá – ele me olhou surpreso.
- Eu queria ter dormido também, mas estava ocupado – fez biquinho.
- Tadinho – sorri, olhei para porta, nenhum movimento, me inclinei e depositei um beijo em Justin, ele obviamente correspondeu.
- Ué você não estava com medo do Twist aparecer?
- Mudei de ideia, não posso?
- Pode – riu, ele me beijou de novo, mas fomos interrompidos com a porta abrindo.




Continua....



Heey pessoas, que saudades >.<
Esse capitulo tá bléh, vou tentar recompensar vocês no próximo.
Quem será que entrou? Comentem 
Beijos!